quarta-feira, 20 de março de 2013

Onze e vinte e quatro!

Frio, interminável outono. Onde só se ouve os gritos do vento… o frio me atinge com a rapidez da saudade, de um amor aflito.

Vez em quando seu silêncio me clama;
A saudade me dopa.

Às vezes tenho medo, medo do que venha à ser.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Back to Top