sexta-feira, 4 de julho de 2014

Beni,

Existo à imaginar que a qualquer hora podes me escrever... deve ser a saudade a me sufocar.
Existo à imaginar que a qualquer momento, por qualquer rua, possa me encontrar... deve ser a plenitude da tua ausência.
Às vezes me pego pensando que como poderia ter feito dos nossos encontros algo diferente.
Hoje eu vejo o quanto gostaria de ter dito aquele dia o quanto senti sua falta. O quanto eu queria que ficasse um pouco mais.
Ao sair por aquela porta, deveria ter voltado e lhe dado o abraço mais forte se soubesse que seria a última vez que iria te ver.
Talvez se a vida não tivesse me causado tantas feridas, talvez se tivesse deixado de lado meu jeito errado... talvez você ainda estivesse aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

NO INSTAGRAM: @RUNFFE


Layout e design: Céu em Versos
CÉU EM VERSOS 2013 - 2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS