domingo, 13 de dezembro de 2015

Decapitados, de Leonardo Brasiliense

SINOPSE: Em uma demonstração de carinho e respeito, os moradores de Vale São José, uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul, decidiram retirar o crânio do falecido monsenhor e mantê-lo em uma urna de vidro no cemitério. Assim, ele jamais seria esquecido.
Mas, quando a relíquia religiosa desaparece, tanto as instituições quanto as relações entre as pessoas são desestruturadas, e a cidade se transforma em uma grande confusão. Em meio ao caos está o jovem Alexandre, que encontrou, sem querer, o objeto desaparecido, e vê todo o seu futuro assim como o da cidade ameaçado por não fazer ideia de como devolver o crânio sem ser descoberto.

{PhotoAlt}
{PhotoAlt}

Alexandre acorda em sua cidade achando que terá mais um dia comum de sua vida.
No entanto, um cranio muito conhecido, não só por ele, mas por toda cidade, que está sobre o tapete do seu quarto.
O cranio sobre o tapete de Alexandre é do Monsenhor, que fica exposto em uma urna de vidro no cemitério da cidade, para que toda a população possa prestar respeito a ele. Por isso, Alexandre precisa devolver o cranio para a Urna sem que ninguém o culpe por roubo.
Quando o sumiço do cranio vem a público, a cidade se transforma em uma grande confusão. Pessoas começam a incriminar umas as outras, sem nenhuma prova.
Acredita-se que com o sumiço do cranio, maldições irão cair sobre a cidade.
Enquanto tenta descobrir como o cranio foi parar em seu quarto e como fará para devolvê-lo sem que ninguém descubra que foi ele, Alexandre embarcará numa aventura que mudará pra sempre o rumo de sua vida.

{PhotoAlt}

No final do livro contém um conto curto, onde se passa o começo de toda a história.
Eu gostei da história, apesar de ser um pouco complexo de entender pela escrita. O livro foi publicado em 2014 pela editora Benvirá, apesar de ter sido publicado recentemente, achei que a narrativa foi escrita de uma forma "clássica" - como nos livros clássicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

NO INSTAGRAM: @RUNFFE


Layout e design: Céu em Versos
CÉU EM VERSOS 2013 - 2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS